sábado, 30 de março de 2013

REVIRANDO O BAÚ: DERCY GONÇALVES


Dolores Gonçalves Costa, mais conhecida como Dercy Gonçalves nasceu em Santa Maria Madalena no dia 23 de junho de 1907. Ela foi uma atriz, humorista e cantora, veio do teatro de revista, teve notáveis participações na produção cinematográfica brasileira das décadas de 50 e 60. O livro Guinness Book a reconheceu como a atriz com maior tempo de carreia na história mundial aos 86 anos.  
Dercy sempre foi irreverente nas entrevistas dadas, as quais sempre tinham bom humor e muitos palavrões, ela também foi uma das maiores expoentes e precursoras do teatro de improviso no Brasil. Ela foi eleita a 16ª maior brasileira de todos os tempos e a 3ª maior mulher brasileira de todos os tempos, perdendo apenas para a Princesa Isabel e a Irmã Dulce em uma pesquisa realizada pelo SBT no ano de 2012.
Dercy era especializada na comédia e no improviso, esteve presente ativamente no auge do Teatro de Revista nos anos 30 e 40, sendo estrelas de várias peças, entre elas podemos destacar “Rei Momo na Guerra”, em 1943 escrita por Freire Júnior e Assis Valente, na Companhia do empresário Walter Pinto. Nos anos 60 iniciou sua carreia solo, em suas apresentações em diversos teatros, conquistou um público cheio de moralismos. Ainda apresentou um monologo que retratava fatos autobiográficos, atuou em vários filmes do gênero chanchada e comédias nacionais.
Em 1963, Dercy chegou a ser a atriz mais bem paga da TV Excelsior, onde conhece o executivo José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Depois foi para a TV Rio e em seguida para a TV Globo. Lá apresentou um programa de auditório, chamado Dercy de Verdade, nos anos de 1966 a 1969. No final dos anos 80, Dercy passou a fazer parte do corpo de jurados em programas populares como os programas apresentados por Silvio Santos e participações em novela da Rede Globo. Já no SBT voltou a apresentar seu próprio programa, o qual teve curtíssima duração.
Em 1985, Dercy recebeu o Troféu Mambembe, como a melhor personagem de teatro. Em 1991 foi enredo: “Bravíssimo – Dercy Gonçalves, o retrato de um povo”, do desfile da escola de samba Unidos do Viradouro, no Carnaval do Rio de Janeiro, Dercy desfilou em carro alegórico com os seios a mostra. No ano de 1994 foi escrita a sua biografia com o título: Dercy de Cabo a Rabo, por Maria Adelaide Amaral. No dia 04 de setembro recebeu o título de cidadã honorária da cidade de São Paulo, concedido pela Câmera de Vereadores de São Paulo. Em 23 de junho de 2007, Dercy Gonçalves completou cem anos com festa na Praça Coronel Braz, no Centro do município de Santa Maria Madalena – RJ, sua cidade natal. 


Dercy Gonçalves faleceu no dia 19 de julho de 2008, aos 101 anos de idade no Hospital São Lucas, em Copacabana, Rio de Janeiro. Ela foi internada durante a madrugada. A causa da morte teria sido uma complicação decorrente de uma pneumonia comunitária grave que evoluiu para uma sepse pulmonar e insuficiência respiratória. Ela encontra sepultada em Santa Maria Madalena, sua terra natal.

Frase de Dercy Gonçalves: "Eu vou sentir falta de vocês. Mas vocês também vão sentir a minha".