terça-feira, 30 de abril de 2013

MENSAGEM DE REFLEXÃO



“Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo... Morre lentamente quem se torna escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não arrisca vestir uma nova cor, quem não conversa com quem não conhece... Morre lentamente quem não vira a mesa quando esta infeliz com seu trabalho ou amor, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos...”

(Pablo Neruda)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

FRASE DA SEMANA



A hipocrisia é filha da ignorância e irmã bastarda da covardia.
(autor desconhecido)

domingo, 28 de abril de 2013

ESPAÇO DA POETISA SILMARA FEITOSA: TROFÉU NATURAL



TROFÉU NATURAL

Saudade da brisa passante, 
Do vento apressado 
Soprando sem trégua, 
Os prédios tão grandes, 
Cobrindo as sombras, 
E nem mesmo o negrume  
Escondeu teu sorrir, 
Que noite tão linda 
De sonhos reais, 
Um véu desnudando 
Troféus naturais,  
Insanas ações 
Profundas, vorás... 
(SILMARA FEITOSA)

sábado, 27 de abril de 2013

LI E RECOMENDO:FILHOS BRILHANTES, ALUNOS FASCINANTES - AUGUSTO CURY



Com o best-seller internacional Pais Brilhantes, Professores Fascinantes, o Dr. Augusto Cury revolucionou a forma como milhões de pais e educadores em todo o mundo encaram a importantíssima tarefa de formar pessoas felizes, éticas e realizadas. Agora, com Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes, o Dr. Cury volta a refletir sobre a educação como uma ferramenta de transformação da humanidade, desta feita através de uma cativante narrativa. Relata-nos, ao longo destas páginas, a história de Romanov, um professor original, inovador e muitíssimo inteligente, que traz para cada sala de aula o sol da criatividade e a luz do pensamento crítico. Destacado para uma escola que tem a alcunha de “Escola dos Pesadelos”, Romanov depara com diversos alunos, professores e pais alienados e desiludidos; contudo, através da arte do ensino, consegue, pouco a pouco, devolver-lhes a capacidade de sonhar e de construir uma vida melhor.
Em "Pais brilhantes, professores fascinantes": a luta para ter filhos e alunos felizes, saudáveis e sábios. Em "Filhos brilhantes, alunos fascinantes": a narrativa de jovens e adultos que foram feridos pela vida, rejeitados e buscam encontrar força na fragilidade e dignidade na dor.
A maior qualidade da escrita de Cury neste livro é trazer a realidade da vida cotidiana, em que seres humanos, os jovens principalmente, sofrem com os mesmos sentimentos: angústias, temores, anseios e conflitos em qualquer lugar e tempo no mundo. O que muda são os personagens, os ambientes. Neste livro ele cultua a sala de aula, as diversas maneiras que certos professores têm para levar o aluno ao raciocínio mais inteligente, chegando na formação de novos conceitos. Com isso traz à tona, também, alguns valores que vão sendo esquecidos pela modernidade da contemporaneidade.

Título: Filhos brilhantes, pais fascinantes
Autor: Augusto Cury
Edição:
Páginas: 142
Editora: Academia da Inteligência
Ano: 2007

quinta-feira, 25 de abril de 2013

MENSAGEM DE AMOR



Toda noite, em meus sonhos
Eu vejo você, eu sinto você
É assim que eu sei que você continua...
Longe atravessando a distância
E espaços entre nós
Você veio para mostrar que continua
Perto, longe, onde quer que esteja
Eu acredito que o coração continua
Mais uma vez você abre a porta
E você está aqui no meu coração
E meu coração vai continuar e continuar
O amor pode nos tocar uma vez
E por último, para uma vida
E nunca deixar ir até que se foi
Amor foi quando eu amei você
Uma hora verdadeira eu seguro a
Na minha vida nós sempre continuaremos
Você está aqui, não há nada que temer
E eu sei que meu coração vai continuar
Nós vamos ficar para sempre assim
Você está seguro no meu coração
E meu coração vai continuar e continuar.


(Trecho da tradução da música: My Heart Will Go On de Céline Dion)


quarta-feira, 24 de abril de 2013

SALMO 50



1. O DEUS poderoso, o SENHOR, falou e chamou a terra desde o nascimento do sol até ao seu ocaso.
2. Desde Sião, a perfeição da formosura, resplandeceu Deus.
3. Virá o nosso Deus, e não se calará; um fogo se irá consumindo diante dele, e haverá grande tormenta ao redor dele.
4. Chamará os céus lá do alto, e a terra, para julgar o seu povo.
5. Ajuntai-me os meus santos, aqueles que fizeram comigo uma aliança com sacrifícios.
6. E os céus anunciarão a sua justiça; pois Deus mesmo é o Juiz. (Selá.)
7. Ouve, povo meu, e eu falarei; ó Israel, e eu protestarei contra ti: Sou Deus, sou o teu Deus.
8. Não te repreenderei pelos teus sacrifícios, ou holocaustos, que estão continuamente perante mim.
9. Da tua casa não tirarei bezerro, nem bodes dos teus currais.
10. Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de montanhas.
11. Conheço todas as aves dos montes; e minhas são todas as feras do campo.
12. Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo e toda a sua plenitude.
13. Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes?
14. Oferece a Deus sacrifício de louvor, e paga ao Altíssimo os teus votos.
15. E invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.
16. Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca?
17. Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti.
18. Quando vês o ladrão, consentes com ele, e tens a tua parte com adúlteros.
19. Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano.
20. Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe.
21. Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era tal como tu, mas eu te arguirei, e as porei por ordem diante dos teus olhos:
22. Ouvi pois isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que eu vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre.
23. Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.

terça-feira, 23 de abril de 2013

DIA 23 DE ABRIL – DIA DE SÃO JORGE


A existência do popularíssimo são Jorge, por vezes, foi colocada em dúvida. Talvez porque sua história sempre tenha sido mistura entre as tradições cristãs e lendas, difundidas pelos próprios fiéis espalhados entre os quatro cantos do mundo.  No entanto, encontramos na Palestina os registros oficiais de seu testemunho de fé. O seu túmulo está situado na cidade de Lida, próxima de Tel-aviv, Israel, onde foi decapitado no século IV, e é local de peregrinação desde essa época, não sendo interrompida nem mesmo durante o período das cruzadas.
Ele foi escolhido como o padroeiro de Gênova, de várias cidades da Espanha, Portugal, Brasil, Lituânia e Inglaterra entre outras localidades no mundo todo.  
 A sua imagem de jovem guerreiro, montado no cavalo branco e enfrentando um terrível dragão, obviamente reporta às várias lendas que narram esse feito extraordinário. A maioria delas diz que uma pequena cidade era atacada periodicamente pelo animal, que habitava um lago próximo e fazia dezenas de vítimas com seu hálito de fogo. Para que a população inteira não fosse destruída pelo dragão, a cidade lhe oferecia vítimas jovens, sorteadas a cada ataque.
Certo dia chegou à vez da filha do rei, que foi levada pelo soberano em prantos à margem do lago. De repente, apareceu o jovem guerreiro e matou o dragão, salvando a princesa. Ou melhor, não o matou, mas o transformou em dócil cordeirinho, que foi levado pela jovem numa corrente para dentro da cidade. Ali, o valoroso herói informou que vinha da Capadócia, chamava-se Jorge e acabara com o mal em nome de Jesus Cristo, levando a comunidade inteira à conversão. 
De fato, o que se sabe é que o soldado Jorge foi denunciado como cristão, preso, julgado e condenado à morte. Entretanto o momento do martírio também é cercado de muitas tradições. Conta a voz popular que ele foi cruelmente torturado, mas não sentiu dor. Foi então enterrado vivo, mas nada sofreu. Ainda teve de caminhar descalço sobre brasas, depois jogado e arrastado sobre elas, e mesmo assim nenhuma lesão danificou seu corpo, sendo então decapitado pelos assustados torturadores. Jorge teria levado centenas de pessoas à conversão pela resistência ao sofrimento e à morte. Até mesmo a mulher do então imperador romano. 
São Jorge virou um símbolo de força e fé no enfrentamento do mal através dos tempos e principalmente nos dias atuais, onde a violência impera em todas as situações de nossas vidas.
Seu rito litúrgico é oficializado pela Igreja católica e nunca esteve suspenso, como erroneamente chegou a ser divulgado nos anos 1960, quando sua celebração passou a ser facultativa.
A festa acontece no dia 23 de abril, tanto no Ocidente como no Oriente.


Oração a são Jorge
Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me pequem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lançam se quebrem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia dos meus inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu manto e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós.
Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge rogai por nós, amém.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

MENSAGEM DE REFLEXÃO


“E não importa o quanto você chorou, ou quanto seu dia foi ruim, o quanto você se decepcionou e quantas pessoas te deixaram pra trás. Não importa se você errou, o que importa é que você aprendeu. E o que importa é que o sol sempre nasce no dia seguinte, te dando a oportunidade de ser feliz e deixar todas as tristezas pra trás.”


domingo, 21 de abril de 2013

AGENDA:VENTUROSA, SERRA TALHADA, CARNAÍBA, FLORES, GARANHUNS, RECIFE, PETROLINA, TABIRA, CUSTÓDIA E ARCOVERDE



Em Serra Talhada





No Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti em Garanhuns, com Alex Goldener, Banda Desertar, Min. Via 44, Marília Gomes, Isabella Barbosa, Marcio Meira, Min. Pescador, Saulinho Farias e Khorus.

Nos dias 27 e 28 de abril - Pe folia na Orla de Piedade, em Recife.


Petrolina Indoor, no dia 30 de abril em Petrolina - PE, as 22h.


Forró das Antigas com: Calcinha Preta, Limão com  Mel e Mastruz com Leite.








Em Arcoverde

LI E RECOMENDO: AUTO DA COMPADECIDA - ARIANO SUASSUNA



O livro “Auto da Compadecida” é um marco para o Teatro Brasileiro. Escrito por Ariano Suassuna e publicado na década de 50, a peça possui caráter circense e elementos da cultura grega e nordestina.
Os personagens são: João Grilo, Chicó, dois amigos sertanejos pobres, mas espertalhões, Mulher e Padeiro, ambos casados, mas há adultério da parte feminina (a mulher possui um cachorro de nome Xaréu e o trata como filho), Antônio Morais, major de pequena participação, Padre, Bispo, Frade e Sacristão representando a religiosidade do sertão, Severino, o “Lampião” do enredo que possui outro Cangaceiro como aliado. Sem esquecer-se de personagens imprescindíveis aos autos: representando a figura do bem, estão Manuel e a Compadecida, e do mal o Encourado (diabo) e o Demônio.
São muitos os atos. Seu início se dá com a apresentação de piruetas, saltos e uma música de circo. Aparece então o apresentador, o Palhaço. Ele comenta algumas cenas, para somente assim o “espetáculo” realmente começar. João Grilo e Chicó são empregados do Padeiro. Este é chifrado pela Mulher, que conquista até Chicó. De forma bem-humorada o enredo vai se desenvolvendo e ocorre a morte do cachorro da Mulher. João Grilo pede ao Padre que faça o enterro do cachorro. Ele não consente, pois é ambicioso, assim como o Bispo. Até que aparece a figura de Major Antônio Morais. João Grilo manipula a cabeça dos dois e faz com que o Padre acredite que o cachorro a ser enterrado é o do major. O poderoso vai embora falando coisas ruins do Padre e o último fica nervoso por perder o dinheiro. Há também o gato que “descome” dinheiro, que é vendido à Mulher pela pura ganância. Muitos são os acontecimentos até a chegada de Severino e seu companheiro. Severino mata o Padre, o Bispo, a Mulher, o Padeiro e os únicos que não escapam são Chicó e um Frade de pouca participação. Chicó fica com o dinheiro de todos após morrerem.
Ao chegar ao céu, a imagem é de um tribunal. Aparecem as figuras de Manuel, Compadecida e Encourado. Todos se surpreendem por Manuel ser negro principalmente João Grilo que demontra seu preconceito. O Encourado inicia as acusações e Compadecida tenta defender todos procurando pontos positivos. A pena estabelecida foi o purgatório. Chega o julgamento mais esperado: o de João Grilo. A figura grotesca expõe os atos de desonestidade de João Grilo e suas manipulações safadas em vida e diz a Manuel para lhe mandar para o inferno. Manuel percebe que as acusações são sérias e não vê outra pena senão a proposta pelo Encourado. Compadecida interfere mais uma vez e utiliza o argumento de que ela e Manuel também foram pobres na Terra e sabem como é a dor de não ter o que comer. João Grilo agia daquela maneira apenas para sobreviver. Eles resolvem, então, dar-lhe uma nova chance, derrotando o Encourado e o Demônio. João Grilo agradece a defesa concedida a ele e ressuscita para o espanto de Chicó. Passado o susto, os dois comemoram, mas… Chicó prometeu a Nossa Senhora que se João Grilo escapasse daquela situação, doaria todo o dinheiro conseguido à Igreja. Terminam pobres, mas agradecidos a Nossa Senhora (Compadecida).
São características dos autos mostrarem os lados do bem e do mal. Juntando isto à temática nordestina (principalmente a parte da religiosidade), o livro torna-se uma crítica à sociedade, pois mostra claramente os interesses políticos por parte dos religiosos e o descaso dos ricos para com os pobres. Seu sucesso está ligado ao fato de ele ser contemporâneo. Vemos na mídia casos da mesma espécie. Um padre corrupto, uma mulher adúltera, um homem de influência vaidoso, coisas que não mudaram…
Sendo assim, Auto da Compadecida é uma obra que vale a pena ler.
[Resenha da aluna Andressa Rocha Muniz - membro da ACADE7]

Título: Auto da Compadecida
Autor: Ariano Suassuna
Edição: 34ª
Editora: Agir
Ano: 2004
Páginas: 208


ESPAÇO DA POETISA SILMARA FEITOSA: PALAVRAS



PALAVRAS

'Ser poeta/poetisa é ter o dom das palavras, é entender o que não se diz, é ouvir a voz do silêncio, é falar aos ventos e ser compreendido/a'
(SILMARA FEITOSA)

FRASE DA SEMANA



A vida é uma rede, a qual o destino tem que balançar.

DIA DE TIRADENTES



No dia 21 de abril comemora-se o dia de Tiradentes. Joaquim José da Silva Xavier nasceu na Fazenda do Pombal, entre São José (hoje Tiradentes) e São João Del Rei em Minas Gerais, no ano de 1746, tornou-se o mártir da Inconfidência Mineira.
Tiradentes ficou órfão de mãe aos nove anos de idade, perdeu o pai aos onze anos, e foi criado pelo padrinho na cidade de Vila Rica, hoje conhecida como Ouro Preto.
O apelido de Tiradentes veio da profissão de dentista que exercera com muita responsabilidade, mas o ofício que mais lhe promoveu foi o de soldado, integrante do movimento da Inconfidência Mineira - que o levou à morte em praça pública, por enforcamento e esquartejamento.
A Inconfidência Mineira foi um abalo causado pela busca da libertação do Brasil diante da monarquia portuguesa, ocorrendo por longos anos, no final do século XVIII.
Na cidade de Vila Rica e nas proximidades da mesma eram extraídos ouro e pedras preciosas. Os portugueses se apossavam dessas matérias-primas e as comercializavam pelos países europeus, fazendo fortuna à custa das riquezas de nosso país, ou seja, o Brasil era grandemente explorado por essa nação.
O reinado de Portugal no Brasil cobrava impostos caríssimos (o quinto) e a população decidiu se libertar das imposições advindas do governo português. A sociedade mineira contrabandeava ouro e diamante, além de atrasar o pagamento dos impostos.
Com o fortalecimento das ideias contra os portugueses, aconteceu a Inconfidência Mineira, tendo como principais objetivos: buscar a autonomia da província; conseguir um governo republicano com mandato de Tomás Antônio Gonzaga; tornar São João Del Rei a capital; conseguir a libertação dos escravos nascidos no Brasil; dar início à implantação da primeira universidade da região; dentre outros.
Durante o movimento, as notícias de que os inconfidentes tentariam derrubar o governo de Portugal chegaram aos ouvidos do imperador, que decretou a prisão deles. Tiradentes, para defender seus amigos, assumiu toda a responsabilidade pelo movimento e foi condenado à morte.
O governo fez questão de mostrar em praça pública o sofrimento de Tiradentes, a fim de inibir a população de fazer manifestos que apresentassem ideologias diferentes. Em 21 de abril de 1792, Tiradentes percorreu o trajeto, chegando à cadeia pública da região, foi enforcado após a leitura de sua sentença condenatória.
Ainda hoje podemos ver o museu da Inconfidência Mineira, que está localizado na Praça Tiradentes, na cidade de Ouro Preto, local onde é preservada a memória desse acontecimento tão importante da história do Brasil, com o ciclo do ouro e as obras de arte de Aleijadinho.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola


sexta-feira, 19 de abril de 2013

DIA DO ÍNDIO



O dia do índio é comemorado em 19 de abril. Esta data foi criada e decretada em 1943, pelo presidente Getúlio Vargas, como forma de homenagear esse povo.
A população indígena, desde o descobrimento do Brasil, sofreu muito, pois foram perseguidos, agredidos e doutrinados pelos homens brancos.
Quando os portugueses chegaram aqui, encontraram uma população grande de índios espalhados pelas nossas terras, eram aproximadamente seis milhões.
O modo de vida dos índios é bem diferente do homem, pois vivem em aldeias, suas casas são feitas de galhos de árvores e palhas, que recebem o nome de oca. Alimentam-se de raízes, como mandioca, cará, inhame e batata-doce, além da caça e da pesca. Também produzem objetos necessários para sua sobrevivência, como arco e flecha, e para o seu dia-a-dia (vasilhames de cerâmica, cestos de palha, redes, etc.). Costumam pintar seus corpos com tintas extraídas de plantas naturais, como o urucum de cor avermelhada, a beterraba de cor roxa e o azul escuro do jenipapo.
Esses povos foram escravizados pelos portugueses, contaminados com doenças que não conheciam, além de morrerem por maus tratos e tiros quando tentavam fugir, o que fez reduzir em grande quantidade parte de sua população.
Os portugueses trocavam informações com os índios através de gestos, mostrando-lhes como era a sua cultura, sua forma de viver, mas exigiam destes que atendessem suas vontades e necessidades.
Hoje em dia a quantidade de índios está aproximadamente em torno de 280 mil, mas, em razão da melhoria de suas condições de vida, há um crescimento populacional desse povo.
Existe um órgão do governo federal que cuida dos interesses dos povos indígenas, preservam suas riquezas e sua cultura. A FUNAI - Fundação Nacional do Índio - cumpre com o disposto na Constituição Brasileira de 1988.

Por Jussara de Barros
Pedagoga
Equipe Escola Kids

quinta-feira, 18 de abril de 2013

MENSAGEM DE AMOR: A VIDA SEM AMOR



A VIDA SEM AMOR
A inteligência sem amor te faz perverso.
A justiça sem amor te faz implacável.
A diplomacia sem amor te faz hipócrita.
O êxito sem amor te faz arrogante.
A riqueza sem amor te faz avaro.
A docilidade sem amor te faz servil.
A pobreza sem amor te faz orgulhoso.
A beleza sem amor te faz ridículo.
A autoridade sem amor te faz tirano.
O trabalho sem amor te faz escravo.
A simplicidade sem amor te deprecia.
A oração sem amor te faz introvertido.
A lei sem amor te escraviza.
A política sem amor te deixa egoísta.
A fé sem amor te deixa fanático.
A cruz sem amor se converte em tortura.
A vida sem amor... não tem sentido.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

SALMO 49


1. OUVI isto, vós todos os povos; inclinai os ouvidos, todos os moradores do mundo,
2. Tanto baixos como altos, tanto ricos como pobres.
3. A minha boca falará de sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento.
4. Inclinarei os meus ouvidos a uma parábola; declararei o meu enigma na harpa.
5. Por que temerei eu nos dias maus, quando me cercar a iniqüidade dos que me armam ciladas?
6. Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas,
7. Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele
8. (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre),
9. Para que viva para sempre, e não veja corrupção.
10. Porque ele vê que os sábios morrem; perecem igualmente tanto o louco como o brutal, e deixam a outros os seus bens.
11. O seu pensamento interior é que as suas casas serão perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.
12. Todavia o homem que está em honra não permanece; antes é como os animais, que perecem.
13. Este caminho deles é a sua loucura; contudo a sua posteridade aprova as suas palavras. (Selá.)
14. Como ovelhas são postos na sepultura; a morte se alimentará deles e os retos terão domínio sobre eles na manhã, e a sua formosura se consumirá na sepultura, a habitação deles.
15. Mas Deus remirá a minha alma do poder da sepultura, pois me receberá. (Selá.)
16. Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece.
17. Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará.
18. Ainda que na sua vida ele bendisse a sua alma; e os homens te louvarão, quando fizeres bem a ti mesmo,
19. Irá para a geração de seus pais; eles nunca verão a luz.
20. O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

ESPAÇO DA POETISA SILMARA FEITOSA: BUSCA CONSTANTE




BUSCA CONSTANTE...

'Não importa se a distancia insere entre nós km distantes,
não importa o quantitativo de montanhas que nos separam,
importa somente que dividimos o mesmo Céu,
que contemplamos as mesmas estrelas,
que nos buscamos constantemente'.
(SILMARA FEITOSA)

domingo, 14 de abril de 2013

REVIRANDO O BAÚ: CHICO ANYSIO


Francisco "Chico" Anysio de Oliveira Paula Filho, nasceu em Maranguape no dia 12 de abril de 1931. Chico já foi humorista, ator, comentarista, compositor, diretor, escritor, pintor, radialista e roteirista brasileiro. Ele fez inúmeros quadros e programas humorísticos na Rede Globo, emissora onde trabalhou por mais de 40 anos.
Ao dirigir e atuar ao lado de grandes nomes do humor brasileiro no rádio e na televisão, como Paulo Gracindo, Grande Otelo, Costinha, Walter D’Ávila, Jô Soares, Agildo Ribeiro, Ivon Curi, Renato Corte Real, José Vasconcellos  e muitos outros. Tornou-se um dos mais famosos, criativos e respeitados humoristas do Brasil.
Chico Anysio mudou-se com sua família para o Rio de Janeiro  quando tinha seis anos de idade. Decidiu tentar fazer um teste para locutor de rádio quando a sua irmã também faria. Saiu-se excepcionalmente bem no teste, ficando em segundo lugar, somente atrás de outro jovem iniciante, por coincidência, o próprio Silvio Santos. Na rádio na qual trabalhava a Rádio Guanabara , exercia várias funções: radioator, comentarista de futebol, etc. Participou do programa Papel carbono de Renato Murce. Na década de 1950 trabalhou nas rádios Mayrink Veiga, Clube de Pernambuco e Clube do Brasil. Nas chanchadas da década de 1950, Chico passou a escrever diálogos e, eventualmente, atuava como ator em filmes da Atlântida Cinematográfica.
Na TV Rio estreou em 1957 o Noite de Gala. Em 1959 estreou o programa  Só Tem Tantã, lançado por Joaquim Silvério de Castro Barbosa, mais tarde chamado de Chico Total. Além de escrever e interpretar seus próprios textos no rádio, televisão e cinema, sempre com humor fino e inteligente, Chico se aventurou com relativo destaque pelo jornalismo esportivo, teatro, literatura e pintura, além de ter composto e gravado algumas canções. 
Chico Anysio foi um dos responsáveis pela intermediação referente ao exílio de Caetano Veloso em Londres. Quando completou dois anos de exílio, Chico enviou uma carta para Veloso, para que este retornasse ao Brasil. Caetano e Gilberto Gil havia sido preso em São Paulo, duas semanas depois da decretação do AI-5, o ato que dava poderes absolutos ao regime militar. Trazidos ao Rio de carro, os dois passaram por três quartéis, até viajarem para Salvador, onde passaram seis meses sob-regime de prisão domiciliar. Em seguida, em meados de 1969, recebeu autorização para sair do Brasil, com destino a Londres, onde só retornariam no início de 1972. 

Desde 1968 esteve ligado à Rede Globo, onde conseguiu o status de estrela num elenco que contava com os artistas mais famosos do Brasil; e graças também a relação de mútua admiração e respeito que estabeleceu com o executivo Boni. Após a saída de Boni da Globo nos anos 1990, Chico perdeu paulatinamente espaço na programação, situação agravada em 1996 por um acidente em que fraturou a mandíbula.
Em 2005 fez uma participação no Sítio do Pica-pau Amarelo, onde interpretava o "Dr. Saraiva" e, participou também da novela Sinhá Moça, na Rede Globo. 
Chico é pai do ator Lug de Paula (famoso por interpretar o personagem Seu Boneco na Escolinha do Professor Raimundo), do casamento com a atriz e comediante Nancy Wanderley; do também comediante e dublador  Nizo Neto (que interpretou o personagem Seu Ptolomeu também na Escolinha do Professor Raimundo)  e do diretor de imagem Rico Rondelli, da união com a atriz e  vedete Rose Rondelli; de André Lucas que é filho adotivo; do DJ Cícero Chaves, da relação com a ex-frenética Regina Chaves; e do ator/escritor Bruno Mazzeo, do casamento com a ex modelo e atriz Alcione Mazzeo.
Também teve mais dois filhos com a ex-ministra Zélia Cardoso de Mello, Rodrigo e Vitória. É irmão da falecida atriz Lupe Gigliotti, com quem contracenou em vários trabalhos na televisão; do cineasta Zelito Viana; e do industrial, compositor e ex-produtor de rádio Elano de Paula. Também é tio do ator Marcos Palmeira, da atriz e diretora Cininha de Paula e é tio-avô da atriz Maria Maya, filha de Cininha com o ator e diretor Wolf Maya.Era casado com a empresária Malga Di Paula.
O humorista foi internado no dia 2 de dezembro de 2010, quando deu entrada no hospital devido a falta de ar. Na avaliação inicial, detectou-se obstrução da artéria coronariana, assim, foi submetido à  angioplastia. Chico Anysio ficou 109 dias internado, recebendo alta apenas em 21 de março de 2011. Neste período, o humorista permaneceu a maior parte do tempo na UTI.
Em 23 de abril de 2011, Chico Anysio retornou ao programa "Zorra Total" interpretando a personagem Salomé. No quadro, Salomé conversava "de mulher para mulher" com a presidente Dilma Rousseff.  
Em 30 de novembro de 2011 foi internado novamente, devido a uma infecção urinária. Recebeu alta 22 dias depois, em 21 de dezembro de 2011, mas já no dia seguinte voltou a ser internado, com hemorragia digestiva. Em fevereiro de 2012 foi diagnosticado com uma infecção pulmonar. Apresentou uma piora nas funções respiratórias e renal em 21 de março de 2012.
Chico Anysio morreu no dia 23 de março de 2012, aos 80 anos, no Hospital Samaritano do Rio de Janeiro, por falência múltipla de órgãos. Seu último pedido foi ser cremado e que parte suas cinzas fossem espalhadas sobre sua cidade natal, Maranguape, e o restante sobre os estúdios da Central Globo de Produção (PROJAC).
 Fonte de pesquisa: Wikipédia

sábado, 13 de abril de 2013

LI E RECOMENDO: O CÓDIGO DA INTELIGÊNCIA - AUGUSTO CURY



Este livro descreve os códigos da inteligência, propondo que esses códigos são capazes de estimular tanto jovens como adultos a libertar a criatividade, expandir a arte de pensar, desenvolver saúde psíquica e a excelência profissional. O autor descreve as armadilhas da mente que podem bloquear a inteligência.
"O Ser humano a atuar no teatro social com, brilho, mas não no teatro psíquico, onde é preciso filtrar estímulos estressantes, gerir seus pensamentos, proteger sua emoção. Somos tímidos espectadores onde deveríamos ser ágeis atores.

No dia-a-dia, a mente pensa tolices, a emoção dá crédito a elas e o eu ingênuo, que não aprendeu a decifrar os códigos da inteligência, paga a conta por não saber filtrar os pensamentos. A vida tão bela se torna, assim, uma fonte de angústias. Decifrar os códigos da inteligência não é um luxo intelectual, mas uma necessidade psíquica vital." (AUGUSTO CURY)


Editora: Ediouro
Autor: Augusto Cury
Título: O Código da Inteligência
Páginas: 240
Ano: 2008