segunda-feira, 22 de julho de 2013

22 DE JULHO - DIA DE SANTA MARIA MADALENA


Santa Maria Madalena aparece no Novo Testamento como sendo uma discípula de Jesus. Nas igrejas Católica, Ortodoxa e Anglicana, Maria Madalena é invocada como Santa. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 22 de julho.
O nome Maria Madalena significa, na verdade, Maria “de Magdala”, designando a naturalidade desta mulher. É o mesmo que dizer “Maria que veio de Magdala”. Magdala era uma pequena cidade que ficava na margem do “Mar da Galileia”, perto de Cafarnaum. Cafarnaum é a cidade onde Jesus escolheu para morar e começar sua vida pública.
Não foi por acaso que Maria Madalena se tornou discípula de Jesus. O Evangelho de Lucas 8, 2 afirma que o Senhor a libertou de sete demônios. Alguns comportamentos de Santa Maria Madalena citados nos Evangelhos nos levam a deduzir que ela atingiu um alto grau de santidade e de fidelidade a Jesus Cristo.
Sabemos que todos os discípulos, exceto João, fugiram quando na prisão, condenação e morte de Jesus. Maria Madalena, porém, aparece firme nos momentos mais cruciais da vida de Jesus. Ela estava presente no momento da crucificação e do sepultamento de Jesus, junto com Nossa Senhora e as mulheres que seguiam o Mestre mais de perto, demonstrando grande amor, coragem e fidelidade a seu Senhor. Podemos ver essas citações em João 19, 25; Marcos 15, 40-47; Mateus 27, 56-61 e Lucas 23, 49-55.
Santa Maria Madalena deu ainda mais uma grande prova de sua fidelidade ao Senhor. No sábado após a morte de Jesus, ela foi a Jerusalém comprar os aromas para preparar o corpo de Jesus de forma digna, como os judeus faziam. Com efeito, o Mestre teve que ser sepultado às pressas por causa da Páscoa que estava chegando. Maria Madalena e outras mulheres não se conformaram com isso. Queriam que o Mestre amado tivesse, pelo menos, uma sepultura digna.
Por isso, depois de ter comprado os aromas, ela e suas amigas esperaram passar o sábado e, no dia seguinte, de madrugada, foram ao túmulo para prepararem o corpo de Jesus com os aromas. Santa Maria Madalena, porém, estava equivocada. Acredita-se que, por causa do trauma da morte violenta de Jesus ela não tenha se lembrado das palavras do Mestre, que disse tantas vezes que iria ressuscitar.
Assim, chegando ao túmulo, Madalena e as outras mulheres encontraram-no vazio. Em meio ao susto, anjos avisaram que Jesus tinha cumprido sua palavra e ressuscitado. Em outra narrativa, o próprio Jesus aparece a Santa Maria Madalena e revela a ela sua ressurreição. Veja as narrativas em Mateus 28, 1-10; Marcos 16, 1-5 e 10-11; Lucas 24, 1-10; João 20, 1,2 e quando Jesus aparece a ela, em João 20, 11-18.


Além das citações nos Evangelhos Canônicos, nenhuma outra fonte escrita fala sobre Maria Madalena, a não ser a Tradição Oral da Igreja. Não há uma fundamentação bíblica que permita afirmar que Maria Madalena fosse prostituta. Porém, a Tradição afirma este fato. Acredita-se que Maria Madalena tenha sido realmente prostitua antes de seu encontro com Jesus.
O Mestre, porém, devolveu a ela a dignidade da pessoa humana, amada por Deus e cheia de valor em si mesma. Uma pessoa com o coração curado tem sua vida transformada. Tanto que Maria Madalena o demonstra permanecendo fiel ao Senhor mesmo depois da morte dele.
Comentando sobre a fidelidade e o amor de Santa Maria Madalena, São Gregório Magno afirma que ela amava tanto o Mestre, que não se conformou com sua morte, e que, em choro incontido, sentia falta dele e quis dar-lhe, pelo menos, uma sepultura digna. Por isso, Jesus apareceu primeiramente a ela.
Gregório Magno compara Maria Madalena a Davi, quando este dia no Salmo: “A minha alma tem sede de Deus e deseja o Deus vivo (Sl 41,3)”. E, quando ela reconhece Jesus ressuscitado, Maria Madalena o chama de "Raboni", que em hebraico significa Mestre.
O livro apócrifo intitulado Evangelho de Maria Madalena traz, sim, escritos que descrevem uma personagem chamada Maria, mas em nenhum momento diz ser a Madalena. Segundo este livro, a tal Maria aparece como íntima de Jesus, sendo mais próxima do Mestre do que os próprios discípulos.
Porém, o livro data do terceiro século e suas citações são, na verdade, uma apologia ao gnosticismo, espécie de seita que não tem nada a ver com o cristianismo. Por isso, este “evangelho” não é autêntico, mas sim um texto que escrito por alguém que aproveitou da fama da santa para difundir ideias contraditórias aos ensinamentos de Cristo e semear a confusão, aproveitando da ingenuidade de muitas pessoas.
Santa Maria Madalena é considerada santa desde o início da Igreja. Seu nome consta da “Ladainha de Todos os Santos” desde que esta Ladainha existe, ou seja, desde os primórdios da Igreja. Ela é a santa da fidelidade, da vida transformada. A prova de que Deus pode mudar a vida de qualquer pessoa, curando corações, devolvendo paz, saúde, dignidade, amor. Santa Maria Madalena é uma das grandes Santas da Igreja. Sua festa é celebrada no dia 22 de julho.


Oração à santa Maria Madalena
“Santa Maria Madalena, o Deus Todo Poderoso, cujo Filho vos purificou de corpo e alma, fostes chamada para ser testemunha da Sua ressurreição. Misericordiosamente vos foi concedida a graça de serdes purificada de todas as enfermidades físicas e morais. Fazei com que também eu, pobre pecador, conheça o poder da vida infinita. Trazei até mim a bênção do Espírito Santo que vive e reina, o poder do Deus único e de Seu Filho Jesus Cristo. Agora, e para sempre. Amem.”