domingo, 5 de janeiro de 2014

MORRE NELSON NED AOS 66 ANOS


O cantor Nelson Ned morreu na manhã deste domingo (5), aos 66 anos. Ele estava internado, desde sábado, no Hospital Regional de Cotia, em São Paulo, por conta de complicações de um quadro de pneumonia, a morte foi confirmada pela assessoria do hospital. O corpo do cantor será cremado no Cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo.
No sábado, Nelson Ned foi internado com um quadro de infecção respiratória aguda, pneumonia e problemas na bexiga. Ele morreu, segundo informações do hospital, em consequência de choque septico, sepse, broncopneumonia e acidente vascular cerebral (AVC). 


O cantor era dono do grande hit Tudo Passará” que foi gravada em mais de dez idiomas e que rendeu um álbum com mais de 20 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.
Ele nasceu em 2 de março de 1947, em Ubá, cidade do interior de Minas Gerais. O nome era uma homenagem aos pais, o fazendeiro Nelson e a professora Ned. Nelson Ned tinha 1,12m de altura e foi o primeiro na família a apresentar nanismo.
O primeiro trabalho do cantor foi como secretário em uma indústria. Na época, ele conquistava os colegas de trabalho com a voz forte, ao soltar o gogó durante o expediente. Foi quando saiu de Minas Gerais para o Rio de Janeiro que a carreira do pequeno gigante decolou. Seu primeiro álbum se chamava "Um show de noventa centímetros". O cantor ficou bravo, pois tinha mais de um metro de altura, mas os executivos da gravadora achavam que o título chamaria mais atenção desta forma. Seu maior sucesso foi a música Tudo Passará, que foi o grande tema do Festival da Canção da Argentina, em 1968. Nelson também foi o único brasileiro que lotou o Carnegie Hall, em Nova York, por quatro vezes. A fama atraiu seus problemas. O cantor e compositor teve sua grande música roubada pelo grupo Gypsy Kings, virandoAmor de Un Dia. O cantor Matt Monro também roubou a música de Nelson Ned, que virou All of A Sudden.


Nelson Ned chegou a ter problemas com a bebida e as drogas. Sua vida era cheia de luxos, mulherada e noitadas. Ficou um tempo afastado da família. Foi na religião que se reencontrou e retomou a carreira com um repertório gospel. Em 2003, sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) que afetou de vez suas habilidades. Passou a morar em São Paulo, em uma casa toda adaptada, na companhia das irmãs.

Fontes: O Povo Online /Portal R7