domingo, 4 de dezembro de 2016

TONY RAMOS APRESENTA VADE RETRO E DÁ RESPOSTA MALCRIADA A MARCELO ADNET


Tony Ramos terminou de gravar Vade Retro, série ainda inédita na Globo, mas parece que manteve um resquício da personalidade dura de seu personagem. Ele interpretou o Diabo, chamado Abel Zebu, e participou da Comic Con, em São Paulo, para falar sobre o trabalho. O moderador Marcelo Adnet perguntou como havia sido a preparação, o laboratório de Tony para o papel de um demônio, e o ator não o poupou na resposta:

"Não faço laboratório porque não sou engenheiro químico", disse, arrancando aplausos e risadas da plateia. "Toma!", acusou Adnet.

Após causar furor na feira geek, o ator explicou melhor como construiu a personalidade de Abel. "Não é o Diabo religiosamente, é o Diabo que está aí [no dia a dia], em atitudes demoníacas. [Abel representa] O Diabo que está dentro de cada ser humano", disse.

Coautor de Vade Retro, Alexandre Machado usou outra figura para ilustrar o tipo de ser humano que se parece com Abel Zebu: Donald Trump, o presidente eleito dos Estados Unidos.

"Na verdade, o fato de o Trump ter ganhado deu uma atualidade na série que não havia sido pretendida no começo. Eu achava que esse tipo de personagem maléfico, com cabelinho, não funcionaria, mas a gente viu que não é bem assim. Se tem alguém que se inspirou, foi o mundo que se inspirou na gente", afirmou no painel da Globo na Comic Con.

As referências de Vade Retro continuaram a ser discutidas por Ramos, Machado e Monica Iozzi, aplaudida de pé pela plateia do evento. Ramos confessou que nunca tinha ouvido falar da série Supernatural, que também já retratou um demônio em seus episódios, e completou que o filme O Advogado do Diabo, de Al Pacino, é sua inspiração mais próxima.

Já Monica Iozzi, que em Vade Retro fez seu primeiro trabalho após o sucesso no Vídeo Show, está empolgada com o resultado da produção: "Fiquei muito surpresa, estou muito bonita".

A série irá ao ar a partir de abril, e ela estima que na mesma época estreará no cinema o filme A Comédia Divina, em que contracena com Murilo Rosa, que faz um Diabo mais semelhante à concepção bíblica do personagem.

"Na primeira metade do ano estarei totalmente endiabrada. Não sei por que me colocam para trabalhar com esses homens [personagens demoníacos], talvez seja porque já trabalhei em Brasília", insinuou.


Fonte: Notícias da TV