domingo, 30 de abril de 2017

MORRE AOS 70 ANOS, O CANTOR BELCHIOR


O cantor e compositor Belchior morreu, aos 70 anos, na madrugada deste domingo, 30, em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.
A família do artista já comunicou o Governo do Ceará e pediu ajuda para realizar o translado do corpo para a cidade de Sobral, onde ele nasceu e será enterrado.
O Governo do Ceará decretou luto de três dias no Estado. O governador, Camilo Santana, lamentou a morte de Belchior, na sua página no Facebook.
Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, conhecido como Belchior, fez fama nos anos 70 com álbuns como Alucinação (1976) e Todos os Sentidos (1978).
Fãs também lamentam a morte do cantor pelo Twitter.
O Governo do Ceará vai fazer o traslado do corpo de Belchior do Rio Grande do Sul para o estado. Havia o desejo expresso pelo artista de ter o corpo sepultado em sua terra natal, Sobral.
Logo que o chefe da Casa Civil do Governo do Ceará, Nélson Martins, foi comunicado da morte de Belchior, esta manhã, entrou em contato com o chefe da Casa Militar, coronel PM Túlio Studart. Este se comunicou com a Casa Militar do Governo gaúcho.
Quem primeiro avisou da morte foi a presidente da Federação Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal, Célia Margit Zingler. Ela mora perto de Belchior, em Santa Cruz do Sul (RS). Célia telefonou para Walmick Ribeiro, também sindicalista da Caixa, que acionou Nélson.
Uma ambulância do Samu chegou a ser acionada para atender Belchior. A causa da morte não foi confirmada.
Nascido em Sobral, no Ceará, Belchior começou a carreira nos anos 70. O disco mais conhecido dele é Alucinação, que contem os hits Velha Roupa ColoridaComo Nossos PaisA Palo Seco e Alucinação.
Apesar do sucesso e reconhecimento nacional, o cantor passou a última década recluso e sem realizar shows. Nesse período, viveu no Uruguai e em estados do Sul do Brasil. 
Belchior abandonou a mulher Ângela para viver com Edna Prometheu, que conheceu no ateliê do amigo Aldemir Martins.
Com o sumiço, enfrentou processos judiciais relacionados a pensões alimentícias de duas filhas e processo trabalhista. Por conta disso, ele teve as contas bloqueadas e não podia mais sacar o que recebia dos direitos autorais das músicas que compôs.
Belchior teve músicas regravadas por diversos ícones da música nacional, como Elis Regina, que fez uma versão de Como Nossos Pais, e Jair Rodrigues, responsável por gravar Galos, Noites e Quintais.